Infinity Safe logo horizontal

PT | EN

Espiões Chineses acusados ​​de plantar câmeras e dispositivos de vigilância na residência de dissidentes.

Cinco indivíduos acusados ​​​​de perseguir, assediar e espionar residentes dos EUA em nome da Polícia Secreta da RPC

O FBI apresentou acusações contra cinco indivíduos por espionagem e atuação em nome da República Popular da China.
[fonte]

As acusações incluem vigilância eletrônica feita com o implantação de câmeras secretas e outros dispositivos na casa de um dissidente chinês. Os níveis extremos de espionagem eletrônica e assédio devem ser um aviso para todos.

De acordo com as acusações, Liu e Ziburis têm operado sob a direção de Sun para desacreditar os dissidentes pró-democracia da RPC que residem nos Estados Unidos – inclusive na cidade de Nova York, Califórnia e Indiana – espionando-os e divulgando informações negativas sobre eles.

Como parte de seus esforços, os réus espionaram eletronicamente os ativistas pró-democracia. Por exemplo, se passando por um negociante de arte interessado em comprar a obra de arte do artista dissidente, Ziburis instalou secretamente câmeras de vigilância e dispositivos GPS no local de trabalho do dissidente e em seu carro.  Enquanto estava na RPC, a Sun assistiu ao feed de vídeo ao vivo e aos dados de localização desses dispositivos. Os réus fizeram planos semelhantes para instalar equipamentos de vigilância nas residências e nos veículos de outros dois dissidentes. Liu e Ziburis planejavam ter acesso a uma dessas residências se passando por membros de um comitê esportivo internacional. 

A vigilância eletrônica não era tudo o que eles estavam fazendo. O comunicado de imprensa do Departamento de Justiça fornece mais detalhes sobre os níveis extremos de assédio que foram implantados contra cidadãos chineses e outros críticos do governo chinês.

Os réus participaram de esquemas de repressão transnacionais para silenciar críticos da República Popular da China (RPC) residentes nos Estados Unidos e no exterior

Duas queixas foram abertas e uma queixa alterada foi autorizada hoje [16 de março de 2022] no tribunal federal do Brooklyn acusando cinco réus de vários crimes relacionados aos esforços da polícia secreta da República Popular da China (RPC) para perseguir, assediar e espionar cidadãos chineses que residem em Queens, Nova York e em outros lugares dos Estados Unidos.

Estados Unidos x Qiming Lin (ainda em liberdade)

Lin é acusado de conspiração para cometer assédio interestadual, bem como conspiração e tentativa de uso de um meio de identificação em conexão com a conspiração de assédio interestadual.

Conforme alegado, Lin, um cidadão e residente da RPC, trabalha em nome do Ministério da Segurança do Estado da RPC (MSS). O MSS é uma agência de inteligência civil e polícia secreta responsável pela contra inteligência e segurança política.

O Ministério da Segurança do Estado é mais do que uma agência de coleta de inteligência. Ele executa os esforços do governo chinês para limitar a liberdade de expressão, atacar dissidentes e preservar o poder do Partido Comunista”, afirmou Kohler, diretor assistente do FBI. “Quando exporta essas ações para o exterior, viola a soberania fundamental dos EUA e se torna uma ameaça à segurança nacional. Essas acusações devem servir como um forte aviso ao MSS e a todas as agências de inteligência estrangeiras de que seus esforços de repressão não serão tolerados dentro de nossas fronteiras.

A partir de setembro de 2021, Lin contratou um investigador particular em Nova York para interromper a campanha de um residente do Brooklyn que atualmente concorre ao Congresso dos EUA (a Vítima), inclusive atacando fisicamente a Vítima. A Vítima era um líder estudantil das manifestações pró-democracia na Praça Tiananmen em 1989, que mais tarde escapou para os Estados Unidos, serviu nas forças armadas dos EUA e tornou-se um cidadão americano naturalizado. Em setembro de 2021, a vítima (então morando em Long Island) anunciou sua intenção de concorrer a um assento no Congresso dos EUA em Long Island nas eleições gerais de novembro de 2022.

De acordo com registros públicos e informações de código aberto, o candidato era  Yan Xiong , que veio para os Estados Unidos como refugiado político vários anos após a repressão na Praça Tiananmen, depois serviu nas forças armadas dos EUA e se naturalizou americano.

Ao contratar o investigador principal, Lin explicou que, se a Vítima fosse selecionada durante as eleições primárias de junho de 2022, ele poderia ser “eleito para ser um legislador. No momento, não queremos que ele seja eleito”. Lin enfatizou que “qualquer preço está bom. Desde que você consiga.” Ele também prometeu que “teremos muito mais-mais deste [trabalho] no futuro. . . Incluindo agora [um] legislador do Estado de Nova York.” Lin explicou ao PI que Lin estava trabalhando com outros indivíduos não identificados na RPC para impedir que a Vítima fosse eleita para o Congresso dos EUA.

Conforme alegado, Lin primeiro pediu ao investigador principal que fornecesse informações sobre a vítima, incluindo o endereço e o número de telefone da vítima, que o investigador forneceu posteriormente. Lin também solicitou que o investigador descobrisse informações depreciativas sobre a Vítima ou, se nenhuma informação pudesse ser encontrada, “fabricasse algo, como o que aconteceu com [um famoso pianista de concerto (o pianista)]?” Esse pedido se referia a um incidente em Pequim no qual o pianista teria sido detido após supostamente ter sido encontrado na companhia de uma prostituta. Lin mais tarde reiterou que, se o investigador não conseguiu descobrir um escândalo, então “eles podem criar algum?”  Lin também encorajou o investigador a “encontrar uma garota . . . Ou ver como ele vai para a prostituição, tirar umas fotos, algo dessa natureza .”

Em dezembro de 2021, Lin propôs que o PI também considerasse atacar fisicamente a Vítima para impedir sua candidatura.   Em uma mensagem de voz para o PI, Lin afirmou:

Você pode começar a pensar agora, além da violência, que outros planos existem? Huh? Mas no final, a violência também estaria bem. Huh? Derrotá-lo [risos], derrotá-lo até que ele não possa concorrer à eleição. Heh, esse é o último recurso. Você você pensa sobre isso. Acidente de carro, [ele] ficará completamente destruído [risos], certo? Não sei, eh, de todos os ângulos diferentes. Ou, no dia da eleição, ele não pode ir sozinho, né?

Detalhes completos são fornecidos no comunicado de imprensa do Departamento de Justiça americano.

Compartilhe:

Mais artigos:

O perigo oculto do rastreamento de veículos

Imagine que você está dirigindo para o trabalho quando, de repente, recebe uma ligação de…

Compreendendo o Cenário de Interceptação: Uma Análise sobre o Incidente Russo

A crescente digitalização do mundo trouxe inúmeros benefícios, mas também gerou desafios significativos relacionados à…

O novo risco para conselhos corporativos e executivos: Wearables

A tecnologia vestível, como smartwatches e rastreadores de fitness, tornou-se onipresente nos últimos anos. Esses…

Gestão de Riscos Internos: Segurança Empresarial Moderna

uitos de nós já ouvimos falar de termos como fraude, sabotagem e insider trading. 🧐…